Notícias Sustentabilidade

Reciclagem de papel no mercado brasileiro

TOMRA SORTING RECYCLING QUER UM OLHAR DIFERENTE PARA A RECICLAGEM DE PAPEL E APOSTA EM ALTA TECNOLOGIA

output papiers graphiques 2A recuperação de frações valiosas de papel provenientes de resíduos sólidos urbanos tem sido uma prática cada vez mais comum nos últimos anos, sendo a reciclagem de papel cada vez mais importante para as empresas do setor, pelo mundo inteiro. Por exemplo, o papel impresso, tais como jornais e revistas podem ser submetidos a processos de descoloração a fim de obter a celulose in natura para utilização na reciclagem, esta é apenas umas das diversas aplicações possíveis.

Para assegurar que no processo de triagem os diferentes tipos de papel serão detectados com elevada eficácia, a TOMRA Sorting que inova constantemente, traz agora uma solução única e bem referenciada no mercado, utilizando-se da tecnologia baseada em leitura ótica. Como consequência positiva, a empresa está no mercado de triagem com sucesso em mais de 40 países, seja em plantas dedicadas só ao papel ou em plantas que recuperam todo o tipo de material contido no lixo urbano.

O mercado brasileiro, nos últimos anos, começou a olhar para o papel de forma diferente. Além de ser um material de origem renovável, o papel está entre os produtos que apresentam maior taxa de reciclagem no Brasil.

De acordo com os dados da Associação Brasileira de Celulose e Papel, 45,5% de todos os papéis que circularam no País, em 2011, foram encaminhados à reciclagem. É importante ressaltar que grande parte de aparas são recicladas para utilização na fabricação de outros produtos como telhas, sem serem consideradas nas estatísticas de recuperação. Além disso, também não se excluem os papéis que não são passíveis de reciclagem, como os higiênicos, que contém impurezas; se esses volumes fossem desconsiderados das estatísticas, a taxa de recuperação subiria expressivamente, como explica a associação.

Na visão de Carina Arita, Diretora Comercial da TOMRA Sorting Recycling Brasil, a reciclagem do papel é nos dias de hoje algo bastante importante, “na medida em que promove a redução do consumo de recursos naturais, e reduz o volume de resíduos que atualmente é depositado no solo. Além disso, agrega-se valor ao material otimizando e fortalecendo toda a cadeia da indústria de reciclagem de papel”.

A responsável da TOMRA acredita que nos próximos anos os brasileiros vão olhar de outra maneira para a reciclagem do papel, sobretudo o setor empresarial: “com o aumento de municípios atendendo à PNRS, tende-se a aumentar a quantidade de papel destinado à reciclagem assim como os produtos provenientes desse material, gerando maior atratividade desses produtos no mercado. Além disso, como toda commodite sofre influência direta do peço do dólar, e considerando os valores atuais da moeda no Brasil, o produtores de celulose tendem a exportar mais, incentivando a substituição pela matéria prima secundária (reciclada)”.

A reciclagem é tradicional no setor papeleiro. As fábricas são abastecidas por uma grande rede de aparistas, cooperativas e outros fornecedores de papel pós-consumo que fazem a triagem, a classificação e o enfardamento do material. A cadeia produtiva que envolve a atividade gera empregos e renda, movimentando a economia. Sob o ponto de vista econômico, a atividade reduz os custos de produção, distribui riquezas e promove a recuperação de matérias-primas que serão novamente inseridas no ciclo de consumo.

A automação dos processos é vista neste sentido como uma oportunidade de futuro, dado que de acordo com Carina Arita, o papel, mesmo depois de selecionado pela triagem, ainda chega para os aparistas muito misturados principalmente devido à dificuldade de separação e pelo volume necessário. Desta forma podemos contribuir com alta tecnologia que trabalha com alta eficiência, pureza e alta velocidade e capacidade de processamento”.

Dois exemplos de sucesso no processo de automação, são os casos da Multilixo e da 2A Reciclagem, que passaram de processos manuais para sistemas automatizados no qual puderam dobrar as suas capacidades produtivas e ainda assim continuam a ter demanda de aumento, desta forma já estão planejando ampliações das suas linhas.

Planta francesa: um caso de sucesso

Por sua vez, na Europa, a aplicação exclusiva da TOMRA Sorting Recycling para triagem de papel gráfico na recuperação de frações de materiais fibrosos tornou-se um tema relevante. Em feiras e exposições na França, foram feitos testes de triagem de papel gráfico e a discussão construtiva tem aumentado nos últimos anos.

Os primeiros desenvolvimentos nesta área ocorreram em 2008, quando a TOMRA Sorting Recycling em conjunto com uma empresa britânica desenvolveram uma aplicação para a classificação de papel gráfico, que continha material impresso misturado. Uma equipe de engenheiros da TOMRA liderados por Michael Mayer, desenvolveu uma máquina com elevada tecnologia baseada em infravermelhos, que foi testada por várias vezes. A evolução permitiu, que hoje em dia, se possa separar várias frações de papel com valores agregados diferentes para a sua reutilizadas. As vantagens econômicas são uma mais-valia deste caso francês que tem bastante sucesso no país.

Para automatizar a atividade no setor e aumentar a eficácia da reciclagem, a TOMRA Sorting Recycling aposta em alta tecnologia como o inovador AUTOSORT que combina os sensores NIR e VIS permitindo reconhecer e separar com total precisão, e máxima velocidade uma grande quantidade de materiais em função do tipo e composição, obtendo-se frações de elevadíssima pureza.

O AUTOSORT permite diferentes configurações para se adaptar a diferentes aplicações, separando desde papel e papelão, podendo ser impresso, revestido ou para descoloração. No entanto, pode ter outas aplicações como vários tipos de plástico (PE, PP, PS, PVC, PET, EPS, ABS entre si por tipo de polímero e por cores). Também se aplica à limpeza de madeira virgem, compensada e aglomerada, separação de material orgânico do inorgânico ou, em combinação com um sensor eletromagnético, à recuperação de metais não ferrosos, incluindo cabos elétricos ou placas de circuitos impressos, etc.

É um sistema compacto que se caracteriza pela sua fácil instalação e integração em fábricas, o seu fácil manuseio, a simplicidade dos seus componentes, a sua potência, confiabilidade e precisão. O AUTOSORT incorpora a tecnologia FLYING BEAM®, permitindo economizar até 70% da energia ao iluminar exclusivamente a área que se está analisando. Inclui também a tecnologia DUOLINE para realizar uma dupla análise, garantindo uma precisão total. A sua elevada eficiência energética e a sua manutenção simples e reduzida ajudam, além disso, a reduzir os custos de funcionamento.