Notícias Personal Care

Quem criou as fraldas descartáveis para bebês?

Quem já possui filho, sobrinho ou afilhado, sabe muito bem o quanto as fraldas descartáveis facilitam o dia a dia, porém nem sempre elas existiram… afinal, quem inventou as fraldas descartáveis para bebês? Quando isso aconteceu? Fique tranquilo, a gente te conta!

Marion Donovan em 1951 teve a grande ideia de unir as fraldas de pano que existiam na época a um forro plástico que chamou de ‘Boater’. A princípio, essa estrutura não deu muito certo e as vendas foram um fracasso, porém Marion não desistiu. Ela abriu sua empresa e persistiu no desenvolvimento do produto. A princípio, ela utilizava cortinas de banheiro para criar as capas impermeáveis, porém com o tempo a fralda descartável foi aprimorada.

Quando a produção de fraldas ganhou escala industrial, eram utilizadas folhas de papel tissue, chegando a usar de 15 a 25 delas envoltas em uma película plástica. Nesta época, a fralda descartável era um artigo de luxo, sendo caríssima no comercio. Foi então que surgiram os primeiros absorventes femininos cujo projeto serviu de inspiração para 0 aprimoramento da fralda. Foi então que no final da década de 50 Vic Mills, da empresa Pampers, desenvolveu um novo tipo de fralda descartável que batizou de Pampers e que em 1959 entrou no mercado.

O sucesso foi enorme, porém havia um problema. Como a fralda não possuía fita adesiva, era preciso usar fita crepe nos nenês, o não era prático nem muito interessante para a criança. Quando entramos na década de 60 o produto começou a ser otimizado, as folhas de papel tissue foram trocadas por fibras de celulose, começou a se utilizar fitas adesivas e também foi mudada a estrutura para que não houvessem vazamentos. Hoje existem inúmeras opções de fraldas descartáveis e até mesmo algumas feitas de pano para serem reutilizadas, assim evitando o acumulo de lixo. Também temos cheiros, formatos, estampas e tamanhos de sobra, a única coisa que não mudou muito foi os preços que ainda são caros.

Comente com Facebook

Comentários