Celulose Notícias

Paper Excellence vai recorrer à Justiça para concluir aquisição da Eldorado Brasil

Além de levar o conflito à arbitragem, PE continuará insistindo

A Paper Excellence (PE) seguirá brigando na Justiça para fechar a aquisição do controle da Eldorado Brasil, além de levar à arbitragem o conflito com a J&F Investimentos. A PE alegou estar aberta a um acordo com a holding dos Batista, mas não está disposta a pagar “qualquer preço”, apurou o jornal Valor Econômico.

Em reunião, os credores da Eldorado se mostraram confortáveis com os últimos resultados financeiros da companhia e discutiram oferta de nova linha de crédito, caso seja do interesse. O grupo inclui o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Santander, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e ainda o Credit Suisse. A Eldorado possui cerca de R$ 8 bilhões em dívidas, sendo 25% com o BNDES. A despeito de o contrato com a Paper Excellence ter sido extinto e o negócio ir para arbitragem, os credores não demonstram tanta preocupação com o desfecho.

Em uma segunda reunião, agendada para a próxima semana, os credores irão se encontrar com a Paper Excellence. Procuradas, as empresas não comentaram. Os bancos também não se manifestaram a respeito. Por contrato, se houver revisão do preço da Eldorado, os fundos de pensão Petros (da Petrobras) e Funcef (da Caixa), que já venderam suas ações, têm direito à diferença.

Para a PE, segundo fontes, a valorização recente da companhia em R$ 10 milhões teria motivado a J&F a dificultar a liberação de garantias concedidas em dívidas da Eldorado junto a cerca de dez instituições financeiras, pré-condição para a compra do controle. No contrato assinado há um ano, a produtora de celulose foi avaliada em R$ 15 bilhões, incluindo dívida. Naquele momento, seu resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) anual estava na casa de R$ 2 bilhões. Em 2018, o valor já está mais perto de R$ 3 bilhões.

Como as garantias, sobretudo em ações da JBS, não foram liberadas até 3 de setembro, a holding dos Batista declarou extinto o contrato de compra e venda. A PE tem 15 dias úteis, a partir de 30 de agosto, para apresentar um recurso ao juízo da 2ª Vara Empresarial e Conflitos de Arbitragem de São Paulo, que indeferiu pedido para que a J&F fosse obrigada a aceitar um aporte de capital na Eldorado para pagamento de dívidas e liberação de garantias. Segundo fontes próximas, a PE vai recorrer. Para o pedido de arbitragem, o prazo é de 30 dias e tanto PE quanto J&F podem fazê-lo.

Procurada, a PE informou que está tomando as medidas para retificação da comunicação da Eldorado, com a posição de só um de seus acionistas, acerca da extinção do contrato. Já a J&F esclareceu que o término do contrato observou a decisão da 2ª Vara Empresarial de São Paulo.

Comente com Facebook

Comentários