ColunistasNotíciasTissue no Brasil

Os múltiplos desafios atuais da produção de tissue

Por Dineo Silverio, CEO da Connecttissue

Os profissionais que estão há mais tempo neste mercado sabem que a produção de papel tissue nunca foi uma tarefa fácil. Sempre que falamos em papel tissue, estamos nos referindo a um produto extremamente delicado e com características muito peculiares, com um público consumidor que possui seus estereótipos específicos. Além disso, é um setor que exige investimentos de capital muito intensos e sempre houve uma concorrência muito forte no mercado.

Mas, para esses mesmos profissionais, está muito claro que as circunstâncias difíceis da produção de papel tissue nos últimos anos cresceram em número e intensidade, tornando o ambiente de negócios extremamente desafiador e cheio de complexidades diárias.

Dentro dessas complexidades, é importante citar alguns temas importantes, como a necessidade constante de inovação tecnológica, a importância da qualidade dos insumos na eficiência produtiva, a formação da mão de obra e seu comprometimento cultural, a atenção cuidadosa aos custos dos processos produtivos, a seleção de produtos adequados à região consumidora, gestão logística para garantir excelente atendimento ao cliente, controle do processo produtivo para obter ótimos índices de eficiência e otimizar investimentos e programação da produção para atingir a máxima eficiência produtiva e satisfazer as necessidades do setor comercial. Tudo isso é necessário na gestão moderna e atual de um processo produtivo de tissue hoje.

A constante necessidade de inovação tecnológica surge porque estamos imersos em um mercado em que o papel tissue é um produto que tem contato direto com o consumidor final. Isso implica que a percepção de qualidade e a diferenciação do produto podem gerar oportunidades para melhorar o valor agregado e, consequentemente, aumentar a rentabilidade da empresa fabricante de tissue. Isso pode ser alcançado com a introdução de um produto inovador que proporcione ao consumidor final uma percepção de atributos diferentes em comparação com outros produtos existentes no mercado.

A demanda por inovação tecnológica também pode ser impulsionada pelo aumento da eficiência da produção. Com os avanços tecnológicos no setor, muitas possibilidades se abrem para aumentar a eficiência da produção. Isso se traduz em um aumento da produção por linha de conversão e, portanto, em um aumento da rentabilidade como forma de otimizar os processos e aumentar a competitividade no mercado.

Outro ponto importante que menciono é a importância da qualidade dos insumos na eficiência da produção. Atualmente, tenho observado uma discrepância entre o que os fornecedores de insumos para a indústria de tissue desenvolveram como solução e o que os fabricantes de tissue têm usado nas linhas de conversão. Em outras palavras, há muitos avanços tecnológicos em insumos que não estão sendo utilizados pelos convertedores de tissue, principalmente porque eles se concentram apenas no custo líquido de um insumo específico por quilo ou por unidade. É necessária uma análise mais sistêmica e abrangente sobre esse ponto para obter maiores ganhos nessa área.

Outro grande desafio atual é o fator humano, pois manter uma força de trabalho qualificada e culturalmente comprometida tornou-se extremamente complexo. Abordo essa questão porque estamos cientes de que a taxa de rotatividade nas empresas de tissue é alta. Por outro lado, é essencial que os operadores de conversão tenham um nível mínimo de conhecimento para atingir os níveis de eficiência e produtividade exigidos pelas tecnologias atuais, o que sabemos que leva tempo para acontecer. Essa situação, por si só, apresenta uma ambiguidade, pois a mão de obra treinada tem um custo para a empresa e não pode ser dispensada de qualquer forma, portanto, as políticas de gestão de pessoas deveriam ter um foco constante na retenção desses profissionais.

Por outro lado, quando se fala de cultura, é necessário pensar sobre isso também. Um grupo de trabalho formado por profissionais comprometidos e envolvidos culturalmente com os objetivos de curto e longo prazo da empresa leva, invariavelmente, a uma melhor eficiência produtiva e, obviamente, coloca essa empresa em uma situação diferenciada de lucro no setor.

Quando se trata de custos de produção e controles de processos de produção com o objetivo de obter melhores índices de eficiência e otimizar investimentos, o tema é amplo e requer atenção especial. Isso é especialmente verdadeiro no que diz respeito a aspectos como gerenciamento e manutenção dos níveis de estoque de insumos, perdas devido a falhas no processo, altas taxas de rejeição de papel e perdas excessivas de produção devido a paradas não planejadas de máquinas. Esses desafios exigem um espaço considerável para discussão e implementação de melhorias dentro das indústrias de tissue.

Em relação ao portfólio de produtos, também é necessário um olhar muito atento sobre o assunto. Existem muitas empresas que não se dão ao trabalho de avaliar isso e seguem única e exclusivamente o que outros fabricantes fazem. No entanto, é neste ponto da gestão de marcas e portfólio de produtos que existem possibilidades de alcançar um crescimento rentável e sustentado da empresa. Para atingir esse objetivo, é necessária uma revisão e validação do verdadeiro propósito do portfólio, bem como um foco estratégico intenso nesse aspecto.

O gerenciamento adequado da logística também é uma área em que muitas empresas sofrem perdas de lucratividade e onde há espaço para melhorias, especialmente devido à falta de foco nessa área. Sabemos que o tissue tem um alto custo logístico e esse fator tem um impacto direto na determinação do escopo geográfico de operação que permitirá que uma empresa de tissue seja lucrativa ou não. Muitas vezes, deseja-se expandir as vendas a qualquer custo, mas não se considera que, quanto maior a área de operação, mais difícil será competir de forma eficaz nesse mercado. Portanto, é necessário definir o “campo de jogo” comercial da empresa, seja com base nos custos logísticos ou na lógica de garantir um bom atendimento ao cliente, com entregas rápidas e frequentes. Dessa forma, a atuação da indústria de tissue na área de operação será otimizada.

Por último, mas não menos importante, a programação da produção realizada para obter a máxima eficiência produtiva e atingir o nível de atenção às necessidades do setor comercial deve ser uma busca constante das empresas. Realizar a programação pensando que as linhas precisam de estabilidade produtiva e não podem ficar mudando de formato ou produto a todo momento e equilibrar isso com as demandas comerciais permitirá que a indústria de tissue atinja pontos de rentabilidade que muitas vezes se perdem no meio do processo.

Como vemos, os temas são muitos, alguns deles nem sequer foram mencionados aqui, e a complexidade e relevância de cada um deles é igualmente grande. Devido ao cenário de alta competitividade e altos custos de produção que vemos no tissue, torna-se extremamente necessário focar e prestar atenção em todos eles para buscar e encontrar em todos os aspectos da empresa as lacunas de lucratividade que estão faltando dentro do processo produtivo como um todo.

Sem dúvida não é uma tarefa fácil, mas com pessoas experientes, processos bem estabelecidos e planejamento estratégico, tudo é possível fazer e melhorar.

Mostrar mais

Dineo Silverio

Dineo Silverio é CEO da ConnectTissue, empresa especializada em serviços de consultoria dedicados à conversão de tissue, VP de Business Strategy & Development do Grupo PHS do Brasil, e membro de Conselhos Diretivos e Estratégicos de empresas do setor. Possui ampla experiência e vivência na área de conversão, com mais de 28 anos dedicados a tissue. Atuou como presidente da Körber Tissue durante cinco anos, onde conheceu profundamente os processos produtivos dos equipamentos e complexidade do setor. Previamente, atuou por 16 anos na área comercial de venda de linhas e equipamentos de conversão de rolos e dobrados como diretor comercial e executivo de vendas, com mais de 200 linhas de conversão e projetos realizados e negociados com clientes do Brasil e América Latina, criando uma ampla rede de relacionamentos sólidos com clientes e fornecedores. Atuou, ainda, como assistente técnico, tendo instalado 27 linhas de conversão e inúmeros outros projetos de melhorias e adaptações de máquinas em toda a América Latina e Brasil, onde tomou conhecimento profundo do processo produtivo de tissue na prática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo