Notícias Sustentabilidade

Opções de mercado para a silvicultura são apresentadas no Tocantins Florestal‏

imagem_2111131385033424_gProdutores e investidores da área da silvicultura puderam conhecer melhor as opções de mercado do setor durante a tarde desta quarta-feira do 2º Congresso Florestal do Tocantins. O evento é realizado pela Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) em parceria com a Associação de Reflorestadores do Tocantins (Aretins) e o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) do Tocantins. A programação, que já havia abordado as questões legais e técnicas da produção de florestas plantadas, dedicou o período da tarde ao Painel Mercado, onde empresas especializadas puderam expor aos participantes as opções de investimento no ramo.

O diretor florestal da Braxel, Manoel de Freitas, apresentou ao público o projeto Braxel, que faz parte do grupo GMR, que atua em diversas frentes, incluindo a silvicultura. “Há uma necessidade crescente de produção de celulose em todo o mundo e o Tocantins tem um grande potencial para efetivar este tipo de cultura, dado às condições satisfatórias de infraestrutura, como ferrovias, rodovias pavimentadas e potencial hidroviário”, afirmou.

Segundo Freitas, outro fator que torna o Tocantins um estado com grande potencial de crescimento na silvicultura é o tipo do solo. “Aqui no Estado é comum encontrarmos cinco tipos diferentes de solo em uma propriedade de cerca de mil hectares. Se por um lado o manejo de uma terra com estas características requer muito cuidado, por outro lado isso permite o desenvolvimento de culturas com muita variedade”, frisou.

Já o gerente de operações florestais da Suzano Papel e Celulose, Luis Carlos Morais de Abreu, falou sobre o Programa de Parceria Florestal da empresa. “O Tocantins tem uma vantagem muito grande em relação a outros estados que é o avanço na questão do licenciamento ambiental, que o torna mais competitivo”, afirmou, acrescentando que a companhia já tem plantio efetivado em Darcinópolis, Araguatins, São Bento do Tocantins e Nazaré. Abreu apresentou ainda as modalidades de parceria ambiental oferecidas pela empresa.

A programação da tarde foi encerrada com a palestra do gerente executivo de economia e mercados do Serviço Florestal Brasileiro, André Luiz Campos de Andrade, que abordou “As oportunidades do mercado na visão do Serviço Florestal Brasileiro”.

O secretário executivo da Agricultura e Pecuária, Ruiter Padua, finalizou a programação do dia agradecendo a todos os parceiros do evento e convidou a todos para participar do 3º Congresso que será realizado em 2014 e ainda para a Feira de Tecnologia Agropecuária (Agrotins), que ocorrerá em maio de 2014.

Programação

Nesta quinta-feira, 21, último dia do 2º Congresso Florestal do Tocantins, a programação será direcionada à prática, com a realização de três workshops. Às 8 horas acontece o workshop “Manejo Inteligente do Eucalipto” conduzido pelo diretor técnico da Takahashi Consultoria, Ernesto Norio Takahashi. Às 10 horas acontecem dois workshops. Um deles, no Ahãdu Eventos, abordando a “Produção de Mogno Africano”, e será realizado pelo engenheiro agrônomo da empresa Mudas Nobres, João Augusto. O segundo acontece no auditório da Seagro, e é intitulado “Pronaf Seringueira”. Às 12 horas ocorre o encerramento oficial do evento.

Fonte