Notícias Tissue no Brasil Tissue no Mundo

O Mercado Tissue na Turquia e no Brasil

Conheça um pouco mais desses mercados que sediarão as próximas Edições da Tissue World;

TURQUIA

A TURQUIA
Tissue World acontece de 25 a 26 de Setembro de 2014

A Turquia é o sexto maior produtor de Tissue na região europeia. Ainda assim a Turquia produz relativamente menos do que os líderes de mercado na Itália e Alemanha (1,76 e 1,45 milhões de toneladas métricas, respectivamente, Figura 1). Esta posição de mercado é o resultado de um longo período de crescimento começado em 2005 (Figura 2). Nos últimos oito anos, a capacidade da Turquia mais do que duplicou e a tendência parece continuar positiva.

Há 17 linhas de produção localizadas em 11 fábricas que operam na Turquia. A capacidade dessas máquinas varia entre um mínimo de 3 toneladas métricas para uma alta de 70 de toneladas métricas. As Velocidades destas máquinas variam desde o mais lento a 450 MPM para o mais rápido em 2200 MPM. As Guarnições das máquinas variam desde o mais estreito de 220 cm, para a maior de 565 cm (Figura 3). A Idade técnica média dessas máquinas é de 15 anos, mas isso é um pouco irrelevante porque onze das 17 máquinas são mais novas do que a média, como a tendência de crescimento sugere.

O BRASIL
Tissue World acontece de 20 a 22 de Maio de 2015

O Brasil é o maior produtor de Tissue na América Latina, produzindo para 32% da região do mercado latino-americano. Juntamente com os 29% de participação do México, mais da metade dos produtos de Tissue da região vem desses dois países (Figura 1). O Brasil experimentou um aumento significativo no crescimento ao final de 2007 e no início de 2008, e continuou a crescer mesmo com ventos contrários de recessão global. Mas essa tendência de crescimento parece estar se estabilizando, como percebemos ao longo do ano passado (Figura 2).

Há 38 unidades fabris no Brasil. A propriedade é quase exclusivamente local, com apenas quatro fábricas sendo propriedade de empresas fora do Brasil (dois pela CMPC, Chile e duas pela Kimberly Clark, Estados Unidos). As demais 34 fábricas são de propriedade de 27 empresas com sede no Brasil. Santher e Mili são as duas maiores empresas que operam quatro e duas fábricas, respectivamente. Estas duas empresas são responsáveis ??por 27% do mercado (Figura 3). As duas empresas de fora mantém outros 20% do mercado, resultando em quatro empresas que comandam quase 50% do mercado Tissue no país.

A base de fibra para o Tissue brasileiro compreende uma divisão quase igual de reciclado e pasta química. Há 13 polos que utilizam polpa reciclada exclusivamente ou quase exclusivamente (> 90%) e 14 polos que utilizam apenas pasta química. Os restantes polos utilizam uma mistura de pasta reciclada e química.

selo_ok

 Tissue World Magazine