Notícias Tissue no Mundo

Lucros da Semapa crescem 15% nos primeiros 9 meses

A Semapa registrou lucros de 112,1 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, o que corresponde a mais 14,9% face ao período homólogo de 2018, anunciou em comunicado à CMVM a empresa que detém a Navigator e a Secil.

Joao Castello Branco – Diretor executivo da Semapa

Este resultado líquido, sublinha a Semapa, resulta da combinação de um conjunto de fatores, desde a melhoria dos resultados financeiros líquidos em cerca de 22 milhões de euros até à redução dos impostos sobre o rendimento em perto de 9,3 milhões de euros, passando pela redução do EBITDA em cerca de 18,6 milhões e aumento de depreciações, amortizações, perdas por imparidade e provisões no valor de 9,6 milhões.

Nos primeiros nove meses do ano, o negócio de celulose e papel contribuiu com 97,1 milhões de euros para os lucros do grupo, o que representou um recuo de 14,4% face ao período homólogo, enquanto o do cimento passou de prejuízos para lucros de 16,8 milhões agora. A ETSA, na área do ambiente, gerou resultados de 2,3 milhões (uma melhoria de 78,2% face aos primeiros nove meses de 2018).

O volume de negócios consolidado do grupo liderado por João Castello Branco, ascendeu a 1.274,2 milhões de euros, resultando num crescimento de 1,8% face ao período homólogo do ano passado, com maior volume de vendas de pasta e de tissue.

Já o EBITDA decresceu 4,5% no período em análise, de 410,6 para 392 milhões de euros. “Excluindo os impactos positivos de 13 milhões de euros da venda do negócio de pellets pela Navigator ocorrido nos primeiros 9 meses de 2018 e 12,2 milhões de euros da aplicação da norma contabilística IFRS 16 em 2019, o EBITDA teria reduzido 17,8 milhões de euros”, refere o documento das contas.

A dívida líquida consolidada totalizava 1.635,3 milhões de euros, o que representou um aumento de 83,7 milhões de euros face ao valor apurado no final de 2018.