Coronavírus Notícias Tissue no Brasil

Helsten mantém produção ativa

Empresa busca contribuir para a cadeia produtiva de papel higiênico no mercado nacional e na América Latina

A Helsten, principal fabricante de facas orbitais no Brasil, está atenta aos desdobramentos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), mantendo sua produção ativa, a fim de contribuir para a produção de papel higiênico no mercado nacional e na América Latina.

Entendendo a sua participação na cadeia produtiva e preocupada com o abastecimento de papel higiênico, que é essencial na vida da população e que já começa a faltar nas prateleiras de supermercados do Brasil e de vários outros países, a Helsten prossegue suas atividades para ajudar a manter a produção desse item fundamental.

Empresa referência em seu segmento, a Helsten possui expertise para atender de forma completa as demandas da indústria de papel tissue e está atuando com todas as suas possibilidades para não desabastecer seus clientes. Obviamente, tomando todo tipo de ação possível para não colocar em risco a saúde e o bem-estar de todos os seus colaboradores internos e externos, uma vez que respeito e segurança são valores inegociáveis para a empresa.

Banner Helsten no Portal Tissue Online

Internamente, a empresa vem divulgando as recomendações passadas pelo Ministério da Saúde de como prevenir o contágio do coronavírus. Algumas outras medidas estão sendo implementadas, tais como: afastamento de todas as pessoas com maior grau de risco; home office (quando possível); instruções sobre as medidas de segurança; sanitização constante dos locais (principalmente de maior circulação); corte das viagens; reuniões apenas online; manutenção dos ambientes arejados e portas abertas; recomendação de distanciamento entre pessoas, flexibilização de horários, monitoramento dos funcionários pelo time de saúde ocupacional, etc.

A Helsten salienta que continuará acompanhando diariamente a evolução do cenário atual a fim de mitigar, dentro do possível, os reflexos sociais e econômicos causados pela pandemia de Covid-19.

LEIA TAMBÉM: