CeluloseNotícias

Eucalipto tolerante a herbicida da Suzano é aprovado para uso comercial

A nova tecnologia desenvolvida pela subsidiária FuturaGene recebeu aprovação da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou, para uso comercial, uma nova variedade de eucalipto geneticamente modificado (GM) tolerante a herbicida. A nova tecnologia foi desenvolvida pela FuturaGene, subsidiária da Suzano e líder em pesquisa e desenvolvimento genético de plantas voltados ao aumento da produtividade e da resiliência do setor florestal renovável global.

A novidade foi avaliada e aprovada pela CTNBio depois de amplos testes e avaliações de risco, assim como a caracterização molecular para garantir que as plantas modificadas não representassem riscos à saúde humana e animal ou ao meio ambiente.

O novo eucalipto imprime a característica de tolerância no herbicida glifosato, amplamente utilizado no setor florestal há mais de três décadas no decorrer das etapas iniciais de plantio do eucalipto. A tecnologia possibilitará o uso mais eficiente do produto nas áreas florestais, diminuindo custos com insumos. Além disso, oferecerá às equipes de campo melhores condições de trabalho e resultará em um menor uso de tratores nas operações florestais, reduzindo, portanto, a pegada de carbono dessas atividades. A redução de danos às árvores jovens deve aumentar a produtividade no campo, num momento em que a demanda mundial por produtos renováveis, como a madeira, cresce de maneira significativa.

“O desenvolvimento dessa tecnologia é parte da estratégia da Suzano de aliar inovação e sustentabilidade para criar processos e produtos que possibilitem usar menos áreas e agroquímicos a fim de preservar e proteger ainda mais os recursos naturais, o que contribui com o propósito da Suzano de renovar a vida a partir da árvore”, comenta o presidente da Suzano, Walter Schalka.

O processo de desenvolvimento do novo eucalipto GM da FuturaGene incluiu extensa avaliação de biossegurança, levando mais de oito anos para conclusão. Após ser aprovado pela CTNBio, a tecnologia será incorporada ao programa de melhoramento convencional da Suzano para expandir os testes em regiões representativas da cultura do eucalipto, assim como ocorre com os clones convencionais. Esta etapa objetiva desenvolver materiais adaptados para futuro uso comercial.

De acordo com a Suzano, todas as atividades executadas a partir da aprovação serão conduzidas utilizando as mais altas diretrizes de segurança e ética, conforme estabelecido na política de árvores GM, e baseando-se nas práticas de manejo florestal da companhia.

A empresa também afirmou que está comprometida em compartilhar os benefícios e o valor dessa nova tecnologia com parceiros por meio de seu programa de fomento florestal, incluindo pequenos proprietários de terras. Após testes em larga escala, os parceiros terão livre acesso à tecnologia sem a necessidade de pagamento de royalties.

Fonte
Suzano
Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo