Celulose Notícias

Eldorado Brasil estuda investimento em projeto de ampliação

Demanda crescente de papel tem rendido lucros consideráveis para a empresa

A Eldorado Brasil, empresa controlada pela J&F Investimentos e a Paper Excellence, informou que ao Jornal do Povo, que a construção de uma nova linha de produção de celulose em Três Lagoas, sempre esteve nos planos da empresa, que segue avaliando essa possibilidade, por meio da análise constante das condições dos mercados financeiro e de celulose.

Se depender das condições de mercado, a ampliação da empresa deve ser concretizada em Três Lagoas. Isso porque, a demanda crescente de papel tem rendido lucros consideráveis para a empresa.

No primeiro trimestre deste ano, por exemplo, a Eldorado apresentou lucro líquido de R$ 247 milhões, 95% maior em comparação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida alcançou R$ 1,2 bilhão, valor 14% superior ao último trimestre de 2018. A produção de celulose chegou a 421 mil toneladas, volume compatível com o primeiro trimestre de 2018. E as vendas atingiram 475 mil toneladas no primeiro trimestre deste ano, 65% acima do quarto trimestre do ano anterior.

A companhia destaca que os fundamentos da indústria de papel e celulose continuam sólidos para os próximos anos, com pouco incremento da capacidade produtiva e uma demanda crescente, fruto do aumento da produção de papel ao redor do mundo, sobretudo na China.

A capacidade nominal da Eldorado é de 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano, mas, segundo a empresa, com alta eficiência a produção anual superou 1,7 milhão de toneladas nos últimos dois anos.

Atualmente, a empresa emprega 3,8 mil pessoas.

AMPLIAÇÃO

O projeto de ampliação da fábrica já era para ter começado, de acordo com o cronograma inicial da segunda linha. Entretanto, foi interrompido após denúncias de irregularidades em financiamento com dinheiro de fundos de pensão e o envolvimento do Grupo . A empresa, no entanto, sempre garantiu a manutenção do projeto de ampliação. Desde o ano passado, a companhia trabalha na concepção do projeto de engenharia da nova planta e na definição de seus fornecedores. A empresa aguarda um aporte financeiro para dar início ao projeto. O serviço de terraplanagem chegou ser iniciado, com previsão da segunda linha entrar em operação em 2021, mas foi interrompido.

A empresa não divulgou novo cronograma da obra, mas garante a manutenção do projeto, que pode contribuir com a geração de novos postos de trabalho na cidade, bem como para reforçar o título que Três Lagoas ostenta de Capital Nacional da Celulose.

Comente com Facebook

Comentários