Celulose Notícias Tissue no Brasil

Cooperativa de ex-funcionários quer reativar 100% do parque fabril da Nobrecel

A falência decretada da indústria de papel e celulose Nobrecel mobilizou ex-funcionários que têm uma história de muitos anos com a antiga fábrica de papel. Após várias reuniões, foi criada a Cooperativa de Celulose e Papel Coruputuba -Cocepelco, com a finalidade de manter as máquinas em operação, atender uma grande demanda que existe no mercado, ao mesmo tempo em que garante sustento de dezenas de família.

Em visita à redação do AgoraVale, diretores da Cocepelco explicam o projeto. O grupo é composto de 56 pessoas, praticamente todos de Pindamonhangaba, com um grupo administrativo do Conselho Fiscal de 13 pessoas. O projeto, segundo os diretores, é absorver toda a mão de obra, cerca de 250 ex-funcionários, e tê-los como cooperados. “A partir do momento em que ocorreu a falência, vimos a necessidade de se organizar para podermos judicialmente solicitar um pedido de reabertura da empresa em formato de cooperativa.”, disse Paulo Toledo, presidente da cooperativa.

Toledo enfatiza que a Cocepelco quer retomar a produtividade e atender uma demanda de pedidos de clientes. “A proposta visa a retomada de 100% do parque fabril, e isso envolve a linha com as máquinas de produção de papel da linha de absorventes, papel toalha, guardanapos e também da linha de produção de papel de escrita, o sulfite.”

O Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Guilherme Augusto Caputo Bastos apoiou as intenções do grupo, disse o diretor. “Nós buscamos apoio do ministro, onde nos foi esclarecido a possiblidade da cooperativa, e foi quando ele nos disse que o formato do cooperativismo em Pinda seria um marco divisor de águas.”

Vale lembrar que a prática do cooperativismo é hoje um marco regulatório no Brasil e foi tema da ONU em 2012.

Fonte: AgroVale.com.br