fbpx




Banner Animado Valfilm Portal Tissue Online
Banner Incape Portal Tissue Online

Notícias Petrofer Tissue no Brasil

Conheça os Antiespumantes (ISOFOAM E10) da Petrofer

Os antiespumantes são utilizados ​​para extrair o ar das fibras em suas misturas de polpa. O ar ocluso pode causar uma série de problemas nos sistemas de aproximação, incluindo a perda de capacidade nos tanques, sistemas de limpeza, refinadores e perda de capacidade devido a cavitação em bombas e ações de preparação de massa. O ar ocluso pode causar problemas especiais no circuito de formação da folha. As bolhas de ar ocupam espaço no fluxo indo para e através da caixa de entrada. Isso significa que o volume real de líquido bombeado é menor que a capacidade nominal da bomba a essa velocidade. Além disso, quando o jato de polpa com baixa consistência deixa o difusor na zona de formação, o ar retido é liberado e a velocidade real do jato na formação do tecido é menor do que deveria ser. Isso pode resultar em trações com relação MD / CD variável. Se o ar permanecer no jato até atingir a tela de formação e depois se dispersar, o resultado é um furo na suspensão fibrosa formada onde havia uma bolha de ar.

Muitas pessoas confundem ar ocluído com espuma de superfície. Essas duas observações são características diferentes do mesmo fenômeno. O ar ocluso é formado por bolhas de ar que se misturam (dissolvem) com o líquido abaixo da superfície. Estas bolhas de ar tentam flutuar para a superfície a uma velocidade proporcional ao tamanho da bolha.

A espuma na superfície é composta de bolhas de ar que atingiram a superfície do líquido. Se as bolhas de ar obstruídas são grandes e aumentam rapidamente, a espuma da superfície pode estar presente sem muito ar arrastado. Se não houver espuma na superfície, isso não significa que não haja ar. Isso pode significar que as bolhas de ar são pequenas e estáveis ​​e não estão subindo à superfície.

A espuma de superfície é um problema de limpeza. Isso pode resultar em depósitos nas laterais dos tanques e espuma em tanques e contêineres.

O ar ocluso tem o potencial de causar problemas reais no processo. Então, de onde vem este ar?

O ar pode entrar no sistema em vários locais, incluindo:

  • Tanques com muita agitação ou agitação incorretas (variável) ou turbulência de estoque em tanques;
  • Cavitação ou ar em bombas;
  • Capturado pelo jato na seção de formação;

Alguns produtos químicos de processo para estabilizar o ar ocluído e a espuma superficial estabilizam o ar ocluído fazendo-o migrar a interfaces de ar/líquido e modificando a tensão superficial do líquido. Isso forma um filme resistente ao redor da bolha de ar que impede que ela se quebre ou se combine com outras bolhas de ar.

Além disso, o peso do filme reduz a taxa de aumento da bolha, parando às vezes completamente.

Os antiespumantes funcionam impedindo este filme de estabilização e quebrando o filme se ele se formar. Isso permite que as bolhas se combinem e subam à superfície do líquido.

Tipos de antiespumantes

Alguns tipos de antiespumantes usados ​​na indústria de papel:

  • base de óleo;
  • base de água;
  • base gel;
  • base de água estendida;

Antiespumantes à base de óleo:

O antiespumante base óleo é composto por derivados de petróleo ou ácidos graxos. Compostos usados ​​no passado variaram entre querosene e óleo de mamona. O antiespumante à base de óleo é o mais eficaz no controle de espuma de superfície e ar ocluído. Eles são usados ​​com mais frequência em processos comuns de celulose. No entanto, esses antiespumantes são incompatíveis com o processo de fibra secundária. Os óleos atuam como agentes “release” quando chegam à superfície do secador Yankee. Além disso, antiespumantes podem causar folha “solta” com controle de crepe superficial pobre.

Antiespumantes água estendida:

Antiespumante à base de água estendida é apenas um antiespumante base óleo que foi previamente emulsionado em água. Isso permite que eles se dispersem mais rapidamente quando adicionados à polpa. Como esses antiespumantes usam o petróleo como principal ingrediente ativo, eles também são inaceitáveis ​​para uso em um processo de fibra secundária.

Antiespumantes à base de água:

O antiespumante à base de água é feito a partir de ingredientes ativos dissolvidos ou coloidais em água. Esses antiespumantes não contêm óleo e são frequentemente usados ​​em processos de fibra secundária.

Antiespumantes base gel:

Os antiespumantes do tipo gel são soluções de sabões gordurosos ou álcoois graxos na água. Estes antiespumantes são muito eficazes na eliminação de bolhas nas fibras. Esses antiespumantes também são frequentemente usados ​​em processos de fibra secundária.

Aplicação de antiespumante:

O antiespumante deve ser adicionado ao sistema de estoque no possível ponto de geração de espuma. Isso permite que o ingrediente ativo do antiespumante iniba as bolhas de ar antes que outros produtos químicos fortaleçam a interface ar-água.

O antiespumante é adicionado em vários lugares, dependendo das necessidades do processo. Alguns pontos comuns de adição são: antes do refino, no sistema de preparação de massa, antes da caixa de entrada e no sistema de água branca no “wire pit” ou no silo.

A Petrofer oferece o ISOFOAM E 10 como um antiespumante sintético da nossa linha de produtos Isofoam e oferece características como inibidor de espuma na superfície e na circulação de água na indústria de papel.

O ISOFOAM E 10 controla a espuma da superfície e distingue – devido às suas boas propriedades emulsificantes – por uma eficiente “desaeração” e pode ser usado na faixa de temperatura média.

Dados físicos

  • Aparência Visual: Emulsão Branca;
  • Densidade 20 ° C DIN 51757: Aprox. 1,0 g / cm³;
  • Viscosidade 40 ° C DIN 51562/1: Aprox. 60-140 mm²/s;
  • Valor de pH a 5% DIN 51369: Aprox. 9,0;
  • Solubilidade: Emulsionável

Aplicação:

O ISOFOAM E 10 pode ser adicionado diretamente à água contaminada por bombas dosadoras convencionais.

O ISOFOAM E 10 é ativo, e, portanto, pode ser aplicado para papel reciclado, bem como para celulose branqueada e não branqueada.

ESTUDO DE CASO:

Em sistemas de tratamento de água de processo é comum observar a geração de espuma em diferentes estágios. Isso pode causar sérios problemas na formação e quebras de folhas. A espuma é a dispersão de um gás em uma fase líquida ou sólida contínua. Uma espuma é uma dispersão grosseira de um gás em um líquido que forma filmes muito finos de dimensões coloidais entre as bolhas do gás. Os gases são introduzidos em fluxos líquidos por vários motivos, incluindo:

– Reações químicas;

– Meios mecânicos;

– Processos biológicos;

Um teste de foi realizado no circuito curto de água da máquina de papel, que processa 30.000 litros por minuto. O teste consiste em medir o volume atingido pela espuma.

Por outro lado, uma solução a 0,1% de antiespumante ISOFOAM E10 é preparada e adicionada de ml por ml, realizando o mesmo procedimento até o desaparecimento da espuma.

Adição Antiespumante:

Adição (lpm) = Fluxo de água (3000L/min) * 32 (mg/L)/10^6