fbpx

Banner Animado Adritz no Portal Tissue Online

Coronavírus Notícias Tissue na América Latina

Com crescimento de demanda, produção de papel higiênico aumenta 25%

destacada papel

Aumento se deu em função da emergência gerada pela pandemia de Covid-19

As medidas tomadas pelos governos diante da pandemia de Covid-19 forçaram grande parte da indústria a interromper as operações, para impedir que o vírus se espalhasse ainda mais. No entanto, a indústria de papel higiênico continua a trabalhar sem parar para produzir produtos de limpeza essenciais.

Somente a empresa Alas Dorada, fabricante de papel higiênico, guardanapos, toalhas de papel e outros produtos, localizada em El Salvador, aumentou sua produção em 25% ao mês, processando 4.000 toneladas de papel por mês, confirmou seu CEO, Paul Ekman.

Conforme explicado, a empresa não parou de produzir, apesar de 80% de sua matéria-prima ser importada, uma vez que seus produtos são processados com papel reciclado.

Ekman garantiu que a empresa atualmente possui estoque por quatro meses, e também espera que seus fornecedores não tenham problemas no envio de matéria-prima, para que não haja problemas com a produção de papel.

estoque papel

“Temos matéria-prima por pelo menos dois meses de produção. Aumentamos os pedidos para evitar futuros cortes. Esperamos ter pelo menos mais dois meses de matéria-prima em pouco tempo. Isso significa que devemos poder operar sem problemas por quatro meses”, disse.

Por sua vez, a Kimberly-Clark, uma das maiores processadoras e produtoras de papel, que também produz grandes quantidades de fraldas descartáveis e absorventes, continua trabalhando para fornecer o necessário.

“Na Kimberly-Clark, estamos comprometidos em oferecer todo o nosso apoio para enfrentar essa situação e garantir os implementos necessários para satisfazer as necessidades de higiene de nossos consumidores nos diferentes pontos de venda em El Salvador; estamos trabalhando ativamente e em estreita colaboração com nossos parceiros de negócios”, disse Gonzalo Uribe, vice-presidente da empresa para a região norte da América Latina.

A sede da Kimberly-Clark fica na Costa Rica, onde a companhia teve de cumprir todas as medidas do governo para proteger os funcionários do coronavírus. Mas também há uma fábrica em Sitio del Niño, San Juan Opico, e embora ele não diga números sobre o aumento da produção, Uribe garante que eles estão atentos ao fornecimento de produtos.

“Nossas equipes de cadeia de suprimentos e operações estão monitorando de perto essa situação em cada mercado e tomando as medidas necessárias para mitigar qualquer contratempo. Além disso, temos equipes globais e regionais que trabalham duro para lidar efetivamente com possíveis contratempos operacionais ”, afirmou o vice-presidente.

Uribe acrescentou que “a Kimberly-Clark implementou uma série de estratégias e planos de negócios para satisfazer, tanto quanto possível, a demanda por nossos produtos, incluindo a aceleração da produção e a realocação de estoques”.

Elaboracion-de-papel-higienico-07

AS MEDIDAS

Apesar de a produção nessas empresas não ter parado, elas reforçaram medidas de segurança para impedir a propagação da pandemia entre seus colaboradores.

O CEO da Alas Doradas garantiu que todo o pessoal administrativo da empresa está trabalhando em casa.

“Instalamos computadores em suas casas e fornecemos internet para que eles possam fazer isso. Na planta de fabricação e conversão, instalamos um protocolo de segurança robusto. Instalamos pontos de lavagem e higienização das mãos em todas as entradas e saídas das diferentes áreas da instalação. Há 24 horas de controle médico e de enfermagem”, explicou Ekman.

Ele acrescentou que todos os colaboradores são verificados pelo pessoal médico ao entrar, durante o dia e ao sair da fábrica.

“Estamos cientes da importância do nosso trabalho neste momento. Estamos doando nosso produto para ser usado em centros de quarentena em todo o país”, acrescentou o executivo da Alas Doradas. A empresa indicou que está doando papel aos abrigos que o governo instalou para ajudar a aliviar a crise causada pela pandemia.

O mesmo está sendo feito na Kimberly Clark. “Neste contexto da pandemia de Covid-19 e em resposta ao apelo das autoridades de saúde de nosso país para prevenir e conter o coronavírus, por meio de medidas de distanciamento social e quarentena, houve um impacto direto na demanda por produtos de higiene pessoal”, disse Uribe.

LEIA TAMBÉM: