Celulose Notícias

Com ampliação de funcionários, Fibria atinge 77% de obras executadas

Quando entrar em operação, a segunda linha, que recebe investimento de R$ 7,5 bilhões, terá três mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos

slide-fibria

As obras de construção da segunda linha de celulose da Fibria em Três Lagoas chegaram a 77% de execução. Com 8,5 mil trabalhadores no canteiro de obras, o projeto de ampliação segue o cronograma, com previsão de entrar em operação no início do quarto trimestre deste ano.
Segundo o gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Fibria, Arnaldo Milan, não haverá a necessidade de aumentar o número de trabalhadores, já que a mão de obra atual é suficiente para concluir o projeto de ampliação.

De acordo com o gerente, 47% dos 8,5 mil trabalhadores foram contratados em Três Lagoas, o que para ele, representa um incremento social e econômico importante à cidade. Do início da obra em 2015, até a entrada da operação, no início do quarto trimestre em 2017, a construção da segunda linha, segundo o gerente, terá gerado cerca de 40 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos, considerando toda cadeia de fornecedores, dos fabricantes de grandes equipamentos ao pequeno comércio local.
Atualmente, já estão em fase de montagem mecânica, as torres de branqueamento de celulose da segunda linha. Das quatro torres de branqueamento, duas se destacam pelo peso e tamanho. A torre mais alta tem 74 metros de altura e pesa 410 toneladas. A outra mede 68 metros e pesa 235 toneladas.

Quando entrar em operação, a segunda linha, que recebe investimento de R$ 7,5 bilhões, terá três mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos. Com a nova unidade, o quadro total de funcionários da Fibria em Três Lagoas será de seis mil trabalhadores diretos e indiretos.

A expansão da fábrica na cidade é um dos maiores investimentos privados no Brasil, com foco em exportação. O projeto é executado com recursos próprios provenientes da forte geração de caixa da companhia e com financiamentos de diversas fontes como BNDES, agências de créditos de exportação (ECAs), Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste, bancos comerciais e mercado de capitais.

A nova linha de produção terá capacidade de 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano. Somada à atual, já em operação, a unidade de Três Lagoas chegará a uma capacidade total de 3,25 milhões de toneladas/ano. Com isso, a capacidade total de produção da Fibria, considerando-se todas as suas unidades, passará dos atuais 5,3 milhões de toneladas de celulose/ano para mais de 7 milhões de toneladas de celulose/ano.

jpnews.com.br