Notícias Tissue no Brasil

Cia. Melhoramentos completa 128 anos e inaugura nova sede

Um terreno com mais de 9 mil m2, sendo 4 mil 2 de área construída fez parte da história do bairro da Lapa, na cidade de São Paulo-SP, que foi urbanizado no seu entorno desde 1948. Tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Conpresp), em 2009, o prédio ganhou ainda mais importância para a família Weiszflog, fundadores da fabricante de papel, Cia. Melhoramentos.

Com um investimento de R$ 16 milhões, efetivados em 2018 nessa sua antiga sede, a empresa realizou um retrofit do prédio, atendendo as diretrizes e normativas exigidas. Agora, mesclando a história e um toque contemporâneo pelo seu conceito aberto, o espaço também assume novas finalidades, fazendo parte da unidade de negócios de empreendimentos imobiliários da companhia.

A administração da Cia. Melhoramentos ficara concentrada no segundo andar da nova sede. Já o primeiro andar, com 1,3 mil m2 está em negociação para tornar-se um espaço para coworking. O térreo abriga uma loja dos produtos editoriais comercializados pela empresa e um espaço para eventos, que, desde sua inauguração, abriga uma exposição em homenagem aos 128 anos da companhia.

Nomeada Casa Melhoramentos, por acolher todas essas ideias, o prédio tem ainda o terceiro andar inteiramente dedicado a eventos e exposições. “Foi uma maneira de reduzirmos as despesas do patrimônio e encontrar, ao mesmo tempo, uma solução inteligente e que é uma tendência no ambiente empresarial”, disse Sergio Sesiki, Diretor Superintendente da empresa, em evento exclusivo com os jornalistas durante a pré-inaugurarão do novo edifício.

Atualmente, esse terceiro pavimento, com área de 874 m2, traz uma exposição exclusiva das obras do Ziraldo, cartunista reconhecido mundialmente, com curadoria da sua própria filha, Daniela Thomas. “Não e somente um escritório, mas um espaço aberto ao público. Queremos que os locatários também se sintam em casa”, disse Alfredo Weiszflog, presidente da Cia. Melhoramentos sobre a ressignificação do local que possui ainda um enfoque cultural. Além disso, o andar abriga um salão multiuso e auditório – ambos equipados com tecnologia de ponta (backstage, sala técnica e sala de tradução simultânea) para apresentações audiovisuais – que poderão ser locados para eventos e exposições. Como parte da estratégia da empresa para os próximos anos, além desse investimento, Sesiki falou sobre os demais empreendimentos imobiliários e atividades do grupo, como as unidades florestais, fibras e o mercado editorial.

O enfoque no mercado editorial segue em produtos licenciados para o público infanto-juvenil, com livros de gastronomia, e-books e dicionários, impresso e digital. “Ainda que antes lançássemos 200 novos títulos por ano, hoje o mercado se mantem estável, com 60 novos títulos por ano”, disse o diretor. Weiszflog complementou, contudo, que se trata de um momento importante para a busca de novos canais e que a inadimplência tem afetado a comercialização das grandes vendedoras de livros.

Enquanto isso, na área de produção de fibras de alto rendimento (TGW, BTGW e NeoLux), a empresa ampliou a capacidade de produção de 70 mil toneladas/ano para 90 mil toneladas/ano, investindo em uma nova torre de branqueamento e uma desaguadora. Os equipamentos permitirão atingir alvura de 80% ISO, lançando uma nova graduação para os clientes, nomeada Claryum. Hoje, a alvura máxima obtida se dá com o NeoLux, que é igual ou superior a 75% ISO e é usada como matéria-prima por fabricantes de papel cartão premium, papel tissue e de papeis especiais. O investimento foi de R$ 55 milhões.

Sesiki também adiantou que, acompanhando as demais empresas no desenvolvimento de novas tecnologias florestais, a Melhoramentos tem investido no desenvolvimento de celulose microfibrilada para uso próprio com o objetivo de aumentar a resistência da fibra. “Estamos realizando todos os estudos em parceria com a Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade de Toronto e Maine, com a realização de testes físico-químicos”, contou.

Otimizando ainda o seu ativo florestal – que hoje totaliza cerca de 15 mil hectares –, a Melhoramentos destinou parte deles para loteamento, uma vez que está situado na área urbana de Caieiras-SP.

As unidades de Camanducaia, com 12 mil hectares de florestas plantadas em mosaicos (80% eucalipto e 20% da espécie pinus), e outros 650 hectares em Braganca Paulista-SP, continuam com o fornecimento de madeira para a fábrica e ainda em Caieiras, 5 mil hectares, sendo que de seu total, 50% são preservados em seu estado natural, mantendo fauna e flora intactas.

Nota: A exposição Os Planetas de Ziraldo, inspirada na coleção “Os Meninos dos Planetas”, com curadoria da diretora e filha do cartunista Daniela Thomas, permanecera aberta ao público até o dia 6 de abril. No térreo também e possível conhecer a história da Cia. Melhoramentos.

Fonte: Revista O PAPEL

Comente com Facebook

Comentários