Notícias Varejo & Professional

Apras lança Mercosuper 2019 com projeção de 30% de crescimento

Zonta anuncia metas do evento e expectativas do setor supermercadista

O presidente da Apras (Associação Paranaense de Supermercados), Pedro Joanir Zonta, lançou na última terça-feira, dia 14 de agosto, em um jantar no Madalosso, a Mercosuper 2019 – 38ª Feira e Convenção Paranaense de Supermercados, que será realizada nos dias 9, 10 e 11 de abril de 2019, no Expotrade Convention Center. Em 2017, o setor supermercadista brasileiro registrou um faturamento de R$ 353 bilhões, o que representa 5,4% do PIB. Já a Mercosuper, movimentou R$ 540 milhões em negócios em três dias de evento.

“A feira possui um grande papel na economia do estado, já que reúne empresários que respondem a 95% do faturamento supermercadista paranaense e fornecedores focados no mesmo objetivo, que é realizar negociações especiais. Com isso, a população ganha com promoções e um mix atualizado com as principais tendências do mercado”, afirma o presidente da Apras, Pedro Joanir Zonta.

Em três anos, a Mercosuper aumentou em 130% o espaço dos expositores, atingiu um crescimento de 700% nas caravanas e obteve um aumento de 150% na quantidade de visitantes. Para a edição do ano que vem, a entidade projeta um crescimento de 30%, tanto na quantidade de visitantes quanto no tamanho da feira. “No encerramento do evento de 2018, já tínhamos 50% dos contratos renovados por expositores que queriam garantir seu espaço na próxima edição, apontando para uma excepcional Mercosuper 2019”, afirma Zonta.

Para atingir estes crescimentos e ampliar o público alvo da feira, a Mercosuper passa a abrir o evento para os segmentos de farmácia, bares e restaurantes. “Além de aumentarmos o leque de visitantes, teremos muitos outros atrativos, como a nossa convenção, que se destaca pela variedade de assuntos e pela escolha de temas essenciais para o sucesso dos negócios”, acrescenta Zonta.

O presidente ainda afirma que o momento econômico está favorável para que a feira prospere ainda mais. “No ano passado, o consumo das famílias teve um crescimento de 1%, o que já deu uma injeção de ânimo no varejo. Já para este ano, esperamos que o consumo cresça 3%, o que sinaliza uma leve recuperação do poder de compra do consumidor e a queda no desemprego”, conclui.

Comente com Facebook

Comentários