Celulose Notícias

ABTCP realiza 3ª Semana do Papel em Três Lagoas

Capacitação de novos profissionais e tecnologias serão enfoques do evento a ser realizado em Mato Grosso do Sul, um importante polo industrial do setor de celulose e papel

ABTCP

A ABTCP – Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel realizará a 3ª Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas, cidade de Mato Grosso do Sul, nos dias 18, 19 e 20 de agosto de 2015, na sede da Faculdade AEMS. O evento busca promover reflexões, discussões e debates sobre assuntos de importância para o setor. Trata-se, essencialmente, de um espaço para o compartilhamento de ideias, técnicas, procedimentos e processos.

É destinado a gerentes, supervisores, coordenadores, colaboradores das fábricas de celulose e papel e estudantes. As sessões temáticas terão início às 19h. Consulte valores de investimentos emhttp://www.abtcp.org.br/3a-semana-de-celulose-e-papel-de-tres-lagoas

Marcia Moura, prefeita de Três Lagoas, acredita que a importância do evento vá muito além de limites territoriais. “Honraria qualquer localidade em que fosse instalado, já que legitima a produção de papel e celulose como uma importante fonte de trabalho e rendimentos para o Brasil, em nível mundial”, salienta. “O fato de Três Lagoas ser a terra mãe das duas maiores indústrias do setor no planeta nos dá esse orgulho e a responsabilidade de continuarmos empreendendo para fazer jus a estas conquistas e abrirmos o leque para mais investidores”, completa.

Como ponto forte do encontro, a prefeita elenca o conhecimento que será compartilhado entre os profissionais participantes do evento, incluindo os que atuam no município e que será estendido, difundido e aproveitado em benefício desta atividade que atualmente é de suma relevância para a cidade. “Fazer parte desta importante página da história econômica de Três Lagoas, já reconhecida nacional e internacionalmente, nos deixa plenamente satisfeitos, como anfitriões e, principalmente, como cidadãos”, considera.

Conteúdo

Além da prefeita de Três Lagoas, a sessão de abertura terá a participação de representantes das empresas Poyry, Eldorado Brasil, Fibria e International Paper. Fabio Nakano, gerente geral da fábrica da Eldorado Brasil, falará sobre o tema “Desenvolvimento de Pessoas”. De acordo com ele, a valorização do recurso humano é um dos pilares estratégicos para o negócio. “E isso passa pelo apoio à formação de profissionais para que possam atuar em nossos novos projetos, de forma a contribuir diretamente com o sucesso e bom desempenho”, enfatiza.

Para Nakano, o evento é importante para a formação técnica do setor. “Os painéis e cursos oferecidos incentivam a capacitação dos técnicos e dos futuros profissionais. É compromisso da Eldorado a promoção e o desenvolvimento das cidades do Mato Grosso do Sul em que atua (Água Clara, Inocência, Selvíria, Aparecida do Taboado e Três Lagoas). Além disso, todas as pessoas que ingressam na empresa recebem treinamentos e atualizações quando há novas diretrizes ou a renovação de equipamentos ou processos”, afirma.

Segundo ele, a Eldorado anunciou o investimento de R$ 8 bilhões em uma segunda linha na cidade de Três Lagoas, que dará origem ao maior complexo industrial do setor, batizado de Projeto Vanguarda 2.0. “Essa nova operação representa a construção da maior linha única de celulose do mundo, com capacidade de dois milhões de toneladas/ano de celulose, com possibilidade de chegar a 2,3 milhões”, conta.

Desta forma, se somada à linha atual, em operação desde 2012, tem-se quatro milhões de toneladas/ano produzidas em um mesmo site industrial, o que possibilita à Eldorado estar em lugar de destaque como o maior site industrial de celulose do globo. De acordo com a prefeita da cidade, esse complexo da empresa reforça Três Lagoas como a “Capital Mundial da Celulose”. 

Além da Eldorado Brasil e da International Paper, o evento tem apoio da Fibria. De acordo com a empresa, o evento valoriza a troca de experiências entre os profissionais da indústria e proporciona a divulgação de informações importantes sobre a produção de celulose para a comunidade de Três Lagoas, que tão bem acolhe o setor. 

A Fibria foi a precursora do negócio florestal e da indústria de celulose em Três Lagoas e na região. Proporcionou a qualificação de mão de obra especializada e uma melhor compreensão sobre o setor que tornou a cidade a Capital Mundial da Celulose.

Com o investimento de US$ 1,5 bilhão, a construção da unidade da Fibria em Três Lagoas (MS) teve início em 2007. O início da operação da planta (Start Up) aconteceu no final de março de 2009.

No dia 14 de maio de 2015, o Conselho de Administração da companhia aprovou o Projeto Horizonte 2, que trata da ampliação de sua unidade de Três Lagoas (MS).  Um dos maiores investimentos privados em execução no Brasil, Horizonte 2 receberá investimentos de cerca de US$ 2,5 bilhões, gerando emprego, renda e desenvolvimento para a região e para o País. A nova linha de produção terá capacidade de 1,75 milhão de toneladas de celulose por ano. Somada à atual, já em operação, a unidade de Três Lagoas chegará a uma capacidade total de 3 milhões de toneladas/ano, transformando-se em um dos maiores sites de produção de celulose de eucalipto do mundo.

Com isso, a capacidade total de produção da Fibria, considerando-se todas as suas unidades, passará dos atuais 5,3 milhões de toneladas de celulose/ano para mais de 7 milhões de toneladas de celulose/ano.

“A ampliação da unidade de Três Lagoas segue a estratégia de crescimento com disciplina da Fibria, que considera uma janela de oportunidade para a entrada de nova capacidade de produção de celulose no mercado em 2018. É com muito orgulho que estamos fazendo esse grande investimento no Brasil, com foco no mercado exportador, contribuindo para a balança comercial brasileira, gerando empregos, melhoria na qualidade de vida e desenvolvimento local, regional e para o país”, afirma Marcelo Castelli, presidente da Fibria. 

Na última sexta-feira (31/7), a Fibria anunciou a contratação de importantes pacotes de serviços e de equipamentos para o Projeto Horizonte 2, que contemplam infraestrutura, gerenciamento das obras, pátio de cavacos, linha de fibras, máquina de secar, caldeira de recuperação, evaporação, caustificação, forno de cal, válvulas, turbogeradores e todo o sistema de transmissão e distribuição de energia também já estão fechados.

Ao longo dos dois anos de execução do Projeto Horizonte 2, estima-se que serão criados 40 mil empregos diretos e indiretos. Durante o pico da obra, serão cerca de 10 mil trabalhadores. Quando entrar em operação, a nova linha de celulose da Fibria terá 3 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos. 

Patrocinadores

Já Guilherme dos Santos Teixeira, coordenador de Marketing da Alvenius, uma das patrocinadoras do encontro, conta que a empresa apresentará o conceito de união de tubulações através de acoplamentos mecânicos. “Essa operação representa diversos benefícios técnicos, financeiros e operacionais tanto em novas instalações quanto em retrofits, pois não utiliza o processo de solda, gerando maior agilidade, limpeza e segurança na montagem”, explica.

De acordo com ele, essa tecnologia pode ser aplicada em diversas etapas do processo produtivo em uma planta de celulose e papel, bem como em sistemas de combate a incêndio ou mesmo tubulações de utilidades. “Esta é uma tecnologia já difundida há anos ao redor do mundo e hoje se faz presente com consistência no mercado brasileiro. A tendência é que o setor passe a adotar o Sistema de Acoplamentos em suas plantas”, considera.

Já Gustavo Yokoyama, supervisor de vendas de Sistemas da Yokogawa no segmento de papel e celulose, empresa que também patrocina o evento, conta que a companhia pretende discutir na ocasião o aumento da produtividade de uma planta de papel e celulose através da integração de soluções em Automação Industrial centrada em capital humano, equipamentos e softwares. Para ele, o conhecimento tácito dos profissionais mais experientes transmitido na capacitação dos novos auxilia a tomada de decisão em situações adversas.

“Com o mercado de Automação Industrial cada vez mais competitivo, somente oferecer tecnologia de ponta em sistemas de controle de processo, instrumentos de campo e softwares avançados não garante vantagem competitiva para o sucesso da empresa”, define o profissional. De acordo com ele, é preciso também investir e capacitar os profissionais, oferecendo treinamentos técnicos e especializações em novas tecnologias de produção e controle para oferecer serviço qualificado e suprir as necessidades do segmento, sendo essa uma atividade constante da Yokogawa.  “Como recurso, o capital humano deve ser aprimorado através da constante capacitação”, constata.

E Yokoyama acredita que o setor de papel e celulose e os profissionais que nele trabalham estão mais capacitados. “As empresas estão cada vez mais investindo na especialização de seus profissionais e que estes, capacitem outros novos. No entanto, ainda há carência de mão de obra especializada”, acredita.  Por isso, na opinião dele, a troca de experiências entre empresas, associações e centros acadêmicos é fundamental para criação, inovação e capacitação de novos profissionais, além da atualização dos experientes.

Além da Alvenius e Yokogawa, as empresas Albany, Contech, Kadant, Kemira, Nalco e Solenis também patrocinam o evento, além dos fabricantes Eldorado, Fibria e Internacional Paper, que o apoiam. (V.F)

Serviço:
O que: 3ª Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas

Onde: Faculdade AEMS – Av. Ponta Porã, 2750 – Distrito Industrial, Três Lagoas – MS

Quando: 18, 19 e 20 de agosto

Horário: 18h30 – 22h30 (Horário de Três Lagoas)

Local: Av. Ponta Porã, 2750 – Distrito Industrial, Três Lagoas – MS, 79610-320.

Mais informações: eventostecnicos@abtcp.org.br ou pelos telefones (11) 3874-2715/16/29/09.